Arquivo da categoria ‘Artes Plásticas

Meu mundo de papel– (Ocelot)   Leave a comment

 

Eis um fantático mundo construído de papel. Cada detalhe na produção do curta é de se apaixonar… A técnica de Michel Ocelot também é vista como uma invenção, deixando a mente artística do diretor livre para poder utilizar qualquer material que pareça adequado.

O  vídeo conta a história de uma família, na qual todos são incríveis inventores. Mas, a cada invenção, a cidade toda parece achar um absurdo o que fazem…

Direção: Michel Ocelot

 
Anúncios

O mistério na arte de D. Westry   Leave a comment

Quando você pensa que o caminhar do pincel e as manchas sobre tela,  do artista D. Westry  parecem sem sentido, de repente elas se transformam fantasticamente em algo familiar. Sugiro que veja o vídeo até o fim e veja o que este artista plástico da atualidade pode criar em curto espaço de tempo. Confira !

 

A poesia visual, pelas mão de Eduardo Lima   23 comments

   

Eduardo Lima

 

Cida     (Eduardo) 045 

por AldaizAzevedo

É um jovem pintor brasileiro, que vem ocupando , merecidamente, o seu espaço no campo das artes plásticas. Desde o momento que vi suas obras, percebi a seriedade em suas pinturas. Por sinal, lindo trabalho. Foi através de exposições coletivas e individuais, que também ficou conhecido fora do Brasil. Filho de nordestinos, nascido em 1977, na cidade de Capim Grosso, no interior da Bahia, desde cedo, por volta dos 10 anos de idade, passou a demonstrar o seu grande amor e apreço pelas Artes plásticas. Com o grafite, a argila e outros materiais de fácil acesso, foi capaz de realizar, quando criança, trabalhos expressivos.

 

Aos 23 anos, o artista teve o seu primeiro contato com as tintas, quando trabalhava como frentista. Em períodos de folga, usava a maior parte de seu tempo, para estudar arte e pintar os seus primeiros quadros. Segundo o artista, no inicio, olhava a atividade como um hobby. As opções temáticas variavam bastante: entre florais, paisagens e natureza morta, sempre buscando um estilo próprio, acentuou.

 

Eduardo Lima, um autodidata apaixonado por suas raízes nordestinas e pela arte, logo percebeu que, o que buscava era a forma de como representar sua gente. Passou então a retratar o sertanejo do seu jeito peculiar. Acrescenta que, nesta fase, ao término de cada trabalho, costumava esconder suas obras, com medo das críticas. Muito observador, captou com o seu olhar e a convivência diária, os segredos, o folclore, a expressão e os anseios da cultura local.

PICT0048
 

Além dos valores culturais, que traduzem o dia-a-dia do sertanejo, seus trabalhos oferecem também, uma linguagem estética, merecedora de atenção, que revela nitidamente, a qualidade da técnica utilizada, na apropriação da luminosidade, da forma, do traço firme, das cores fortes, do movimento, das pinceladas a óleo sobre suas telas.

 

Com o olhar de bom observador, veja a sensação que você capta,

ao apreciar de perto ou de longe, as obras deste grande artista plástico.

*** Imagens cedidas pelo autor

Clique nas imagens para ampliar

e ver em forma de slides

Publicado 26/01/2012 por AldaizAzevedo em Arte, Arte e Cultura, Artes Plásticas, Cultura

A arte Zen de Jia Lu   5 comments

 

 32_Jia Lu
***Clique na imagem para ver outras imagens em Galeria – Jia Lu


"Eu acho que os artistas visuais devem prestar atenção a outros campos", diz Lu, "para mim o desafio é criar beleza, para melhor persuadir meus espectadores a olhar novamente para a sua vida e o mundo ao seu redor." Falando em Inglês, ela se torna mais direta. "Eu tenho uma paixão pela arte, e da figura humana que sempre está no centro dela. Quero compartilhar essa paixão com meus espectadores, através da minha pintura".

Jia Lu

 

 Por AldaizAzevedo

A arte em Zen de Jia Lu

Falar sobre a artista plástica Jia Lu, é  olhar suas obras e sentir  algo que transcende e traduz  neste olhar a sua sensibilidade e  espiritualidade. Seu talento inspira-se na arte budista. Nascida na China, onde cresceu ao meio de uma revolução cultural, tem uma história de vida que nos fascina e que nos ensina a perseguir nossos objetivos e não nos deixar envolver pelo cansaço. Seus trabalhos propõem sensações, paixão e leveza que concilia a pureza e a sexualidade, qualidades combinadas com a arte figurativa e a pintura realista desta artista plástica, tendo ao centro, a figura feminina, sendo esta uma das mais  retratadas em suas obras.

Jia Lu trabalhou como enfermeira, foi oficial naval, jogadora semiprofissional de basquete, projecionista de cinema, atriz de televisão e cinema, diretora-assistente e editor de arte de uma revista , tudo antes de se matricular na Academia Central de Arte e Design para iniciar sua formação profissional como artista. Viajou com suas obras da China para a América do Norte e Europa. A arte e a vida de Jia Lu deixa transparecer a elegância, beleza e sabedoria detalhadas em suas pinturas evocativas e de seus escritos. Hoje vive e realiza seus trabalhos em Los Angeles.

   
         

Publicado 26/12/2011 por AldaizAzevedo em Arte, Arte e Cultura, Artes Plásticas

A relação silenciosa com a pintura – Antonio Veronese   6 comments

untitled4 untitled5 untitled1 untitled7
 

 antonioveronese                                                 

Antonio Veronese é um artista plástico brasileiro, radicado na França desde 2004 e usa a sensibilidade em suas pinturas faciais, pensando em parâmetros puramente estéticos. Segundo Veronese a única relação que podemos ter com a pintura é a relação silenciosa que dispensa palavras e liberações, lembrando que, nem título pensa ser necessário, colocar em seus trabalhos, por acreditar ser a pintura um momento único e bastante subjetivo. Desta forma não propõe algo pré – estabelecido, valorizando a síntese estética através de um rosto, de uma figura sem a preocupação com as explicações ou interpretações de quem as observa.

Sua luta no Brasil em favor das crianças

 A troca de endereço, portanto, foi útil, embora tenha sido motivada por ameaças de morte, recebidas depois que Veronese denunciou casos de violência contra menores no Brasil.

O engajamento em favor de crianças e adolescentes carentes é uma das características de suas obras – além de uma espécie de obsessão por rostos. Antes de deixar o Rio – que o paulista de Brotas adotara por anos -, deu aulas de arte para menores infratores no Instituto João Luiz Alves, na Ilha do Governador. Em 1998, chegou a cobrar da então primeira-dama, Ruth Cardoso, medidas para tirar das ruas crianças abandonadas. Sua obra Just Kids (Apenas Crianças) é usada pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) para simbolizar os dez anos do Estatuto da Infância e da Adolescência (ECA), enquanto Save The Childen (Salvem as Crianças) é símbolo dos 50 anos da ONU. Apesar de distante do Brasil, Veronese, de 55 anos, se diz ligado a essa temática e ao país. Mas se sente esquecido pela crítica brasileira, que, segundo ele, lhe dedica “a mais absoluta e total indiferença”. ( imagens – de Les Visages)

Leia mais da entrevista concedida pelo artista à Revista Veja em 2009

Publicado 05/05/2011 por AldaizAzevedo em Arte, Artes Plásticas, Cultura

Criatividade gráfica – Ben Heine   9 comments

Ben Heine.jpg2 
Ben Heine 5

Ben Heine é pintor, ilustrador, retratista, caricaturista e fotógrafo. Se a habilidade, o talento, a criatividade e a visão artística fossem mensuráveis , diríamos que Ben Heine é portador de uma quantidade considerável de qualidades arísticas.

É nascido em Abidjan, na Costa do Marfim, e de momento reside em Bruxelas, na Bélgica. Estudou artes e escultura e tem também licenciatura em jornalismo.

Os seus vastos anos de experiência, exploração gráfica, a sua criatividade e a sua fantástica visão artística levaram-no a criar este estilo maravilhoso e singular com que produz as suas obras de arte.

Ben Heine3          Ben Heine4

 

Publicado 07/04/2011 por AldaizAzevedo em Arte, Artes Plásticas

Victor Meirelles – Retratos do Brasil História   1 comment

2727

20100103224718!Victor_Meirelles_-_Dona_Tereza_Cristina 

 

De origens humildes, cedo seu talento foi reconhecido, sendo admitido como aluno da Academia Imperial de Belas Artes. Especializou-se no gênero da pintura histórica, e ao ganhar o Prêmio de Viagem da Academia, passou vários anos em aperfeiçoamento na Europa. Lá pintou uma de suas obras mais conhecidas, A Primeira Missa no Brasil. Voltando ao Brasil se tornou um dos pintores preferidos de Dom Pedro II, inserindo-se no programa de mecenato do monarca e alinhando-se à sua proposta de renovação da imagem do Brasil através da criação de símbolos visuais de sua história. Tornou-se professor da Academia, respeitado e admirado por todos, e continuou seu trabalho pessoal realizando diversas outras pinturas históricas importantes, bem como retratos e paisagens. Com o advento da República, por estar demasiado vinculado ao Império, caiu no ostracismo, e acabou sua vida em precárias condições financeiras, já esquecido por todos.

A obra de Victor Meirelles pertence à corrente romântica, mas suas influências foram ecléticas, absorvendo também traços do Barroco e do Neoclassicismo. Foi autor de algumas das mais célebres recriações visuais da história brasileira, que até os dias de hoje permanecem vivas na cultura nacional e são incessantemente reproduzidas em livros escolares.

                                                  

Visite a um click

 logomenu

Publicado 06/02/2011 por AldaizAzevedo em Arte, Artes Plásticas