Arquivo da categoria ‘Arte e Cultura

A secular mesquita rosa   Leave a comment

   

7e629871-fb90-4763-90d3-349bc266a73a

 

A mesquita rosa e colorida

Quando se trata de edifícios históricos, normalmente imaginamos castelos, torres, tijolos e argamassa. Raramente pensamos sobre as cores que poderia ter.

Aqui é uma exceção. O Nasir Al-Molk Mesquita foi construída em 1876 em Shiraz, Iran. Os vitrais especializados foram construídos para capturar a luz da manhã e criar uma exibição gloriosa e colorida de luz no chão do edifício, ganhando o nome de "Mesquita Rosa".

Em certos momentos do dia, parece que este edifício contém todas as cores do mundo. Ele também usa estilos de arquitetura islâmicas tradicionais, como arcos Iwan, um chafariz central, etc No entanto, os vitrais são uma raridade em mesquitas, com outro exemplo como a famosa Mesquita Azul, em Istambul .

3f5bd57f-8296-4ca5-b362-3dd006981ca3 5276bd83-be47-4225-bd8b-1efeb70c607d 9e06defc-25b4-4247-97dc-e3ac1808a5d5

A poesia visual, pelas mão de Eduardo Lima   23 comments

   

Eduardo Lima

 

Cida     (Eduardo) 045 

por AldaizAzevedo

É um jovem pintor brasileiro, que vem ocupando , merecidamente, o seu espaço no campo das artes plásticas. Desde o momento que vi suas obras, percebi a seriedade em suas pinturas. Por sinal, lindo trabalho. Foi através de exposições coletivas e individuais, que também ficou conhecido fora do Brasil. Filho de nordestinos, nascido em 1977, na cidade de Capim Grosso, no interior da Bahia, desde cedo, por volta dos 10 anos de idade, passou a demonstrar o seu grande amor e apreço pelas Artes plásticas. Com o grafite, a argila e outros materiais de fácil acesso, foi capaz de realizar, quando criança, trabalhos expressivos.

 

Aos 23 anos, o artista teve o seu primeiro contato com as tintas, quando trabalhava como frentista. Em períodos de folga, usava a maior parte de seu tempo, para estudar arte e pintar os seus primeiros quadros. Segundo o artista, no inicio, olhava a atividade como um hobby. As opções temáticas variavam bastante: entre florais, paisagens e natureza morta, sempre buscando um estilo próprio, acentuou.

 

Eduardo Lima, um autodidata apaixonado por suas raízes nordestinas e pela arte, logo percebeu que, o que buscava era a forma de como representar sua gente. Passou então a retratar o sertanejo do seu jeito peculiar. Acrescenta que, nesta fase, ao término de cada trabalho, costumava esconder suas obras, com medo das críticas. Muito observador, captou com o seu olhar e a convivência diária, os segredos, o folclore, a expressão e os anseios da cultura local.

PICT0048
 

Além dos valores culturais, que traduzem o dia-a-dia do sertanejo, seus trabalhos oferecem também, uma linguagem estética, merecedora de atenção, que revela nitidamente, a qualidade da técnica utilizada, na apropriação da luminosidade, da forma, do traço firme, das cores fortes, do movimento, das pinceladas a óleo sobre suas telas.

 

Com o olhar de bom observador, veja a sensação que você capta,

ao apreciar de perto ou de longe, as obras deste grande artista plástico.

*** Imagens cedidas pelo autor

Clique nas imagens para ampliar

e ver em forma de slides

Publicado 26/01/2012 por AldaizAzevedo em Arte, Arte e Cultura, Artes Plásticas, Cultura

Plin, plin – Os riscos à Cultura, é uma imposição ou não da TV brasileira ?   7 comments

 

Por AldaizAzevedo

Eis a questão, amigos, que não quer calar…

Devido ao anuncio do próximo reality show “BBB da TV globo”, me pronuncio, dizendo que a entrevista feita com Antonio Veronese sobre o tema, foi esclarecedora, indo além das colocações habituais, sobre a impropriedade, desta emissora, no que se refere ao investimento cultural em suas programações. O que faz prevalecer o mau gosto, o desrespeito entre os jovens e aos jovens, além da ausência de identidade nacional com o povo quanto às suas raízes e valores culturais, não contribuindo em nada, para a história e a vida do cidadão brasileiro. Portanto faço questão de deixar este registro rico, nesta colcha cultural, tendo em vista a fala de muitos sobre o assunto, acentuando, para esta programação a desaprovação de exposições desnecessárias destes jovens que vão em busca de glamour e satisfações pessoais, muito distantes de nossa realidade social, descompromissando a TV brasileira, de seu verdadeiro papel sócio cultural.

Confiram no vídeo, a critica e resposta de Veronese

 

 

Publicado 07/01/2012 por AldaizAzevedo em Arte, Arte e Cultura, Cultura, Educação

A arte Zen de Jia Lu   5 comments

 

 32_Jia Lu
***Clique na imagem para ver outras imagens em Galeria – Jia Lu


"Eu acho que os artistas visuais devem prestar atenção a outros campos", diz Lu, "para mim o desafio é criar beleza, para melhor persuadir meus espectadores a olhar novamente para a sua vida e o mundo ao seu redor." Falando em Inglês, ela se torna mais direta. "Eu tenho uma paixão pela arte, e da figura humana que sempre está no centro dela. Quero compartilhar essa paixão com meus espectadores, através da minha pintura".

Jia Lu

 

 Por AldaizAzevedo

A arte em Zen de Jia Lu

Falar sobre a artista plástica Jia Lu, é  olhar suas obras e sentir  algo que transcende e traduz  neste olhar a sua sensibilidade e  espiritualidade. Seu talento inspira-se na arte budista. Nascida na China, onde cresceu ao meio de uma revolução cultural, tem uma história de vida que nos fascina e que nos ensina a perseguir nossos objetivos e não nos deixar envolver pelo cansaço. Seus trabalhos propõem sensações, paixão e leveza que concilia a pureza e a sexualidade, qualidades combinadas com a arte figurativa e a pintura realista desta artista plástica, tendo ao centro, a figura feminina, sendo esta uma das mais  retratadas em suas obras.

Jia Lu trabalhou como enfermeira, foi oficial naval, jogadora semiprofissional de basquete, projecionista de cinema, atriz de televisão e cinema, diretora-assistente e editor de arte de uma revista , tudo antes de se matricular na Academia Central de Arte e Design para iniciar sua formação profissional como artista. Viajou com suas obras da China para a América do Norte e Europa. A arte e a vida de Jia Lu deixa transparecer a elegância, beleza e sabedoria detalhadas em suas pinturas evocativas e de seus escritos. Hoje vive e realiza seus trabalhos em Los Angeles.

   
         

Publicado 26/12/2011 por AldaizAzevedo em Arte, Arte e Cultura, Artes Plásticas

Notícias sobre os painéis "Guerra e Paz" de Cândido Portinari   7 comments

guerra e paz

"Guerra e Paz", de Cândido Portinari, montados no palco principal do Teatro Municipal do Rio

Os dois painéis que compõem o mural "Guerra e Paz", criado pelo artista brasileiro Cândido Portinari (1903-1962) para o prédio das Nações Unidas, em Nova York, foram removidos do local e embarcados rumo ao Brasil, onde passarão por restauração completa e estão sendo expostos ao público.

 O Teatro Municipal do Rio de Janeiro prorrogou até o dia 6 de janeiro do ano que vem a exibição de "Guerra" e "Paz", principais murais do pintor Cândido Portinari, que estão expostos ao público desde o último dia 21. Filas que percorrem mais de dois quarteirões em torno do teatro têm se formado diariamente nos momentos anteriores às sessões de visita (que acontecem gratuitamente de duas e duas horas). Até hoje, mais de 12 mil pessoas já viram as obras.

Os painéis foram pintados no Rio em 1955 e 1956, sob encomenda, para a entrada da sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. No início de 1956, antes de seguirem para os Estados Unidos, as pinturas, que somam 280 m², provocaram uma corrida ao teatro: os cariocas queriam conferir o presente do governo brasileiro à ONU. Agora, quem visita a exposição primeiro assiste a um vídeo produzido pela presidente do teatro, Carla Camurati, contando um pouco da história do pintor e dos murais. Em seguida, é realizada uma projeção sobre os estudos feitos para a restauração dos painéis e, logo depois, "Guerra" e "Paz" são revelados ao público.

 

Painéis "Guerra e Paz", de Portinari, chegam a São Paulo em 2012

Entre 6 de fevereiro e 21 de abril do ano que vem, os painéis "Guerra e Paz", do pintor paulista Candido Portinari (1903-1962), serão expostos no Memorial da América Latina, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo. Eles serão acompanhados de cerca de 100 dos 180 estudos que o artista fez, nos quatro anos que precederam a pintura da obra.

"O material foi garimpado no Brasil e no exterior. É a primeira vez que conseguimos reunir todos esses estudos, o que dá a esta exposição uma importância ainda maior", comenta João Candido Portinari, fundador e diretor-geral do Projeto Portinari. Os painéis "Guerra e Paz" retornaram ao Brasil em dezembro do ano passado, após 54 anos na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, para serem restauradas.

  guerra e paz2

Uma projeção inicial de como os painéis serão expostos no Brasil e no mundo

Fonte – Cultura – Exposição – Último Segundo

Publicado 23/10/2011 por AldaizAzevedo em Arte, Arte e Cultura, Noticia

Conheça o Museu Submerso –   5 comments

  ATT000079  

 

Um exército de figuras humanas vai deixar a praia em Cancún, no México, para ser submerso.
As esculturas de Jason DeCaires Taylor vão ajudar na recuperação das barreiras de corais . Serão feitas de cimento. DeCaires unirá a arte e meio ambiente.

Até o fim do ano começará a última fase do trabalho. DeCaires, o Parque Nacional Marítimo e a Associação Náutica de Cancún vão convidar outros artistas para contribuir para o museu submarino.

Sua obra, ‘ A Evolução Silenciosa ‘ , é inspirada em pessoas reais – na maioria mexicanos comuns – que foram transformadas em esculturas submarinas para dar abrigo à vida marinha .

homem personalizado

 
         
  ATT000082

O escultor conta que há enorme pressão sobre os corais na região de turismo intenso. Sua intervenção tenta representar a responsabilidade de todos sobre os danos ambientais, sob uma perspectiva ‘ otimista

A composição química e o acabamento em cimento das esculturas promove a colonização da vida marinha, que com o tempo vai cobrir as esculturas em cores diferentes .

 
  ATT0000610

As primeiras peças deste museu submarino, submersas em 2009, são o ‘ Homem em Chamas ‘ (baseado em um pescador local), o ‘ Colecionador de Sonhos Perdidos ‘ e a ‘ Jardineira da Esperança ‘ , na foto ao lado.

Com sua obra, DeCaires quer ressaltar que, apesar de nos cercarmos de edifícios, não podemos esquecer o quanto dependemos da natureza .

 
  ATT000106 homem personalizado

O principal grupo – que consiste em 400 figuras pesando mais de 120 toneladas – será submerso.Quando isso ocorrer, o artista vai perder o ‘ controle estético ‘ sobre sua obra, que ficará a cargo da natureza.

 

 
  ATT000095

 

Os modelos vivos usados por DeCaires vão desde uma freira de 85 anos até um menino de 3 anos. Para fazer os moldes, ele cobriu de gesso um contador, uma professora de ioga, um estudante, um acrobata e até um jornalista da BBC.

Publicado 04/09/2011 por AldaizAzevedo em Arte, Arte e Cultura, Escultura, Museu, Noticia

Semana de Portinari   6 comments

portinari 
                                                                          
5014650695_c0864aa8ac    
                                                                        

Semana Portinari

Realizada pelo Museu Casa de Portinari, na cidade de Brodowski, em parceria com a prefeitura da cidade. De 13 a 22 de agosto, o público poderá conferir pintura mural, exposições de artes plásticas, oficinas culturais de pintura e dobradura, brincadeiras de rua, karaokê, circo, contação de histórias, percussão, estátua viva, marionete, apresentação de grupos de dança e teatro.

 

 

Candido Portinari

Por AldaizAzevedo

Artista plástico brasileiro, nasceu na cidade de Brodowski, no interior de São Paulo em 30 de dezembro de 1903, numa fazenda de café, filho de imigrantes italianos que educaram os seus 12 filhos com severos padrões morais e religiosos. Desde cedo era visto como um artista mirim, motivado pelos familiares e amigos. Sempre muito próximo de tudo que se relacionava a Arte, retratou o homem do campo, com suas aflições, seus costumes, além de absorver memórias jamais esquecidas. Segundo a pesquisadora em arte e professora Heloiza Azevedo Rodrigues, o artista ainda muito jovem, trazia para casa o fruto de seu trabalho, ajudando escultores e pintores que passavam por Brodowski. Seu pai, concluiu nestas idas e vindas de Portinari. que o seu filho teria um futuro brilhante e que em pouco tempo deixaria a cidade. 

 Mais tarde Candido Portinari, deixaria o país para uma  viagem de estudos à Europa, conquista que foi  obtida pela Escola Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro, onde iniciou seus estudos em Arte. Ao retornar mais determinado e maduro ao Brasil, transportou para  suas telas o povo, sua gente, valorizando nossa cultura e etnias. Dessa forma tornou-se um dos maiores artistas plásticos contemporâneos, com obras espalhadas pelo mundo. Recentemente recebemos as obras Guerra e Paz, para restauração, aqui no Brasil, vindas dos Estados Unidos, com previsão de retorno, estando em breve expostas, para visitação pública.

 frevo - 700x525

              Clique na imagem abaixo para um tour de 360º ao Museu casa de Portinari

                                  M A R A V I L H A !!!

mcpsmp

 

Publicado 21/08/2011 por AldaizAzevedo em Arte, Arte e Cultura, Cultura