Arquivo da categoria ‘Arquitetura

A secular mesquita rosa   Leave a comment

   

7e629871-fb90-4763-90d3-349bc266a73a

 

A mesquita rosa e colorida

Quando se trata de edifícios históricos, normalmente imaginamos castelos, torres, tijolos e argamassa. Raramente pensamos sobre as cores que poderia ter.

Aqui é uma exceção. O Nasir Al-Molk Mesquita foi construída em 1876 em Shiraz, Iran. Os vitrais especializados foram construídos para capturar a luz da manhã e criar uma exibição gloriosa e colorida de luz no chão do edifício, ganhando o nome de "Mesquita Rosa".

Em certos momentos do dia, parece que este edifício contém todas as cores do mundo. Ele também usa estilos de arquitetura islâmicas tradicionais, como arcos Iwan, um chafariz central, etc No entanto, os vitrais são uma raridade em mesquitas, com outro exemplo como a famosa Mesquita Azul, em Istambul .

3f5bd57f-8296-4ca5-b362-3dd006981ca3 5276bd83-be47-4225-bd8b-1efeb70c607d 9e06defc-25b4-4247-97dc-e3ac1808a5d5

India – Obras artísticas e arquitetônicas   6 comments

jaipurfortamber

Conjunto das obras artísticas e arquitetônicas do subcontinente indiano desde o III milênio a.C. até nossos dias. Para os adeptos da tradição ocidental, podem parecer, à primeira vista, exagerados e sensuais; porém, mesmo estes, vão apreciando seu refinamento. Caracterizam-se também por um grande sentido do desenho, patente tanto nas formas modernas quanto nas tradicionais. A cultura indiana costuma manifestar volúpia com uma liberdade de expressão não habitual.

affentempel1

A primeira mostra de arquitetura indiana foi a construção de edifícios de tijolos, ao tempo que se levantavam estruturas de madeira. Embora estas últimas tenham desaparecido ao longo dos séculos, foram imitadas por construções de pedra que ainda estão de pé.
A época clássica primitiva começou no ano 250 a.C., durante o reinado de Asoka, que emprestou ao budismo o patrocínio imperial.

A pintura de Rajput floresceu em Rajputana, Bundelkhand (atualmente parte de Madhya Pradesh), e no Punjab Himalaya, entre os séculos XVI e XIX. Baseava-se na iluminura de manuscritos com motivos decorativos planos e é uma pintura popular refinada e lírica, que ilustra as epopéias hindus tradicionais, sobretudo a vida do deus Krishna.
A pintura mongol, derivada da sofisticada tradição persa, era uma arte cortesã patrocinada pelos imperadores.

 

Clique em uma das imagens para ver mais imagens  ampliadas em forma de slides

 

A fase mongol do estilo indo-islâmico, entre os séculos XVI e XVIII, fomentou o uso de materiais luxuosos, como o mármore. O exemplo culminante desse estilo é o mausoléu do Taj Mahal, em Agra. Desde o século XVIII, a construção de grandes edifícios na Índia tem mantido as formas históricas próprias ou se submetido aos modelos europeus introduzidos pelos britânicos.

TM.02

Assim, não se pode separar a criação do criador e o tempo deve ser entendido como uma matriz da eternidade. Este conceito, aplicado à arte, divide o universo da experiência estética em três elementos distintos, ainda que relacionados entre si: os sentidos, as emoções e o espírito. Estes elementos ditam as normas para a arquitetura, como instrumento para fechar e transformar os espaços, e para a escultura, em termos de volume, de plasticidade, de modelagem, de composição e de valores estéticos.

No lugar de representar a dicotomia entre a carne e o espírito, a arte hindu, por meio da sensualidade e da voluptuosidade deliberadas, funde ambas, através de um complexo simbolismo que, por exemplo, transforma a carnalidade de um corpo feminino num mistério perene de sexo e de criatividade, no qual a momentânea esposa se revela como a mãe eterna.  

jaipurhawamahalorpalace 

A arquitetura islâmica da Índia vem desde o século XIII até os nossos dias. A ela pertencem o famoso mausoléu de Gol Gundadh (1660), em Bijapur, estado de Mysore; a torre Qutb Minar (século XII), com cinco andares de pedra e mármore, em Delhi, capital; e a mesquita de Jami Masjid (1423), em Ahmadabad.

 

Publicado 23/06/2011 por AldaizAzevedo em Arquitetura, Arte, Cultura